.

.

Torneio Central Park

Torneio Central Park

Mega Link

Mega Link

quarta-feira, 27 de abril de 2016

PMs recusam propostas do Governo do Estado

IMAGEM ILUSTRATIVA

Policiais e bombeiros militares de Pernambuco recusaram a proposta do executivo estadual de reajuste, em assembleia na Praça da República, na noite desta quarta-feira (27). Por volta das 20h, a comitiva de negociação voltou para a Secretaria de Administração de Pernambuco para informar que as categorias rejeitaram o que foi apresentado pelo Governo do Estado. No entanto, ainda não foi tomada nenhuma decisão sobre greve.

“Nós vamos retornar à Secretaria de Administração agora para apresentar uma contraproposta ao governo e esperamos que esse impasse acabe. Neste primeiro momento, as categorias estão paralisadas. A princípio será um aquartelamento, ou seja, ficaremos dentro dos quartéis. Mas iremos decidir a estratégia apenas quando voltarmos dessa segunda reunião e deliberarmos com a categoria”, afirmou Alberisson Carlos, presidente da Associação dos Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE).

A reunião entre o governo e os representantes das categorias durou quase duas horas, nesta quarta (27), na Secretaria de Administração de Pernambuco, no bairro do Pina, na Zona Sul do Recife. O percentual médio de reajuste oferecido pelo governo em forma de gratificações foi de 17,06%, mas as categorias continuam reivindicando 18,53% de revisão salarial.

A proposta do governo foi de reajuste em forma de gratificação de 17,78% para soldado, 14,63% para cabo, 12,24% para terceiro sargento, 10,50% para segundo sargento, 9,15% para primeiro sargento, 8,08% para subtenente, 11,34% para segundo tenente, 8,89% para capitão, 7,42% para major, 6,2% para tenente-coronel e 5,3% para coronel.

A proposta do governo é oferecer às categorias esses percentuais de reajustes em forma de duas gratificações: R$ 750 anuais de auxílio-uniforme pagos a partir de junho, o que equivale a R$ 62,50 mensais, além de R$ 350 fixos mensais de auxílio-transporte a partir de julho.

As categorias reivindicam reajuste salarial de 18,5% e aumento de 6,5% nos salários, além da reforma do Hospital da Polícia Militar, localizado no bairro do Derby, e da atualização do Código Disciplinar através de leis complementares.

Fonte: G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário